De Volta à Ativa (E Editais Interessantes Aqui no Brasil)

Olá! Tudo bem contigo? Espero que sim.

Normalmente uso meu site para traduzir e produzir recursos para escritores iniciantes assim como eu. Porém hoje eu quero fazer algo um pouco diferente e compartilhar as coisas que eu estou trabalhando e falar um pouco mais sobre mim.

Eu andei negligenciando bastante minha carreira de escritor, não vou mentir. Até abril eu estava na loucura do fim de Mestrado, e tanto meus trabalhos de escritor quanto o meu site de divulgação científica, o Mural Científico, sofreram com isso. Agora, estou tirando um ano sabático para poder descansar, e estou tendo mais tempo de me dedicar à escrita. Estou extremamente feliz com o resultado.

Primeiro, redescobri uma paixão por contos. Ano passado eu descobri o mundo das revistas literárias internacionais. E “mundo” não é exagero – existem centenas, de todos os gêneros, tamanhos e faixas de pagamento. Comecei a escrever algumas coisas e tentar submeter para eles… Mas foi um fracasso. E, francamente, eu realmente não estava pronto; vendo hoje meus contos daquela época, percebo que eu não havia chegado ainda na qualidade necessária para ser publicável, mesmo tendo orgulho daquele conto para a época.

Diabos, eu ainda não sei se cheguei nesse nível. Mas vamos descobrir, não? Resolvi voltar a escrever alguns contos como “aquecimento” para voltar à escrita do meu livro. O que me motivou, porém, não foram as revistas internacionais, e sim uma miríade de iniciativas aqui do próprio Brasil.

Estou de olho em três editais em específico:

1 – A Revista Mafagafo, que está recebendo Noveletas de 7500 a 17.500 palavras. Para ela, eu escrevi uma história que vai ser parte importante do universo do que eu espero ser minha franquia principal nos próximos anos, a qual eu tenho dois livros (independentes) planejados. Não quero dar muitos detalhes porque é um nicho muito específico que eu tenho esperança de explorar aqui no Brasil e que, francamente, só tem espaço pra uma pessoa, mas digamos que é uma história de Super-Heróis com uma fortíssima influência da cultura pop japonesa; o conto, entitulado “O Herói Quebrado”, é um “Old Man Logan com pegada cyberpunk”, como descreveu um dos meus leitores beta. Estou particularmente orgulhoso e esperançoso de conseguir publicá-lo; gosto muito da iniciativa da Revista Mafagafo e seria uma honra ter minha primeira publicação com ela.

2 – A coletânea Curtos e Fantásticos, iniciativa da Karen Soarele do Papo de Autor e Editora Jambô. Faço parte do grupo do Papo de Autor e admiro muito todo o trabalho da Karen; o grupo é um dos melhores e mais profissionais do Facebook brasileiro. Surgiu de maneira bem espontânea a ideia de fazer uma coletânea de microcontos (menos de 1000 palavras!) com os membros do grupo e ela foi um sucesso estrondoso. (Dica: É gratuita! Você pode adquirí-la no link acima). Fiquei tão inspirado pela coletânea que acabei escrevendo um microconto, coisa que nunca tinha feito, e adorei a experiência! Qual não foi minha surpresa quando entrei no grupo no dia seguinte e vi o anúncio de que haveria um segundo volume da Curtos e Fantásticos! Portanto, esse conto já tem endereço. Também já passei ele para o inglês e pretendo tentar publicá-lo lá fora também. O micro-conto, chamado de “A Curiosidade do Jovem Mestre”, envolve um robô e uma criança.

3 – Foi anunciado dia 30/05 (dia que estou escrevendo esse texto) o edital para Crônicas de Tormenta, Volume 3. Pela primeira vez, a coletânea está aberta a submissões públicas. É uma oportunidade de ouro para mostrar meu trabalho para a Editora Jambô, que eu admiro horrores e que, particularmente, é a editora “dos sonhos” pra mim. Estou extremamente empolgado com essa oportunidade e com certeza vou dar o máximo na produção do conto. Já estou com ele estruturado e devo me dedicar a ele a partir de semana que vem. Quero fazer algo com uma pegada mais científica, já que é o que eu entendo melhor.

Estou bastante satisfeito com os dois que produzi até o momento; estou na esperança de finalmente estar me aproximando do nível do publicável. Obviamente, é possível que eu esteja errado… Mas, pelo menos por enquanto, estou satisfeito o suficiente com essas obras para arriscar auto-publicá-las no futuro em coletâneas próprias, caso elas não encontrem um lar nesses editais.

Enfim, só quis fazer esse post para dizer que estou feliz com a retomada da minha carreira de escritor, e informar às (provavelmente poucas) pessoas que se importarem quais estão sendo meus projetos atuais. Obrigado por terem me ouvido (lido) até aqui, e o próximo texto será, com certeza, a continuação da série Como Escrever um Livro!

Até lá!